Simpósio STORM: Risco e Património em Portugal e BrainSTORMing

StormAdmin Noticias

This post was originally published on this site

No dia 5 e 6 de Abril, no Museu Nacional dos Coches em Lisboa, foram organizados dois eventos de divulgação do Projeto STORM, o Simpósio STORM: Risco e Património em Portugal e o BrainSTORMing, o primeiro aberto ao público e o segundo apenas para os parceiros externos nacionais do STORM. Esta iniciativa foi promovida pela DGPC, TROIA RESORT, Nova Conservação Lda., Câmara Municipal de Grândola e Inov Inesc Inovação – Instituto de Novas Tecnologias.

O Simpósio
O Simpósio pretendeu divulgar os resultados do projeto STORM e dar a conhecer políticas e metodologias de proteção e redução de risco em património cultural. A sessão da abertura foi proferida pela Sr.ª Diretora-Geral da DGPC, Arq. Paula Silva, pela Diretora do Museu Nacional dos Coches (MNC), Dr.ª Silvana Bessone, e pelo Diretor Nacional de Planeamento de Emergência da ANPC, Dr. José Oliveira, que alertaram para a vulnerabilidade do património face ao crescente impacto das ameaças naturais, e para conjugação de esforços institucionais para a promoção de medidas de proteção do património cultural na gestão de emergências.
A Dr.ª Isabel Raposo Magalhães, do MNC, deu início aos trabalhos, com uma palestra intitulada Riscos e Património Cultural: as lições da História, exemplificando o impacto que desastres naturais podem causar em monumentos históricos, nacionais e internacionais e a necessidade de desenvolvimento de boas práticas de prevenção e resposta. 
Com esta premissa em mente, foi apresentada uma conferência sobre o STORM, destacando-se a sua importância na criação de políticas para proteção de património cultural, nomeadamente sítios arqueológicos, seguida de outras quatro conferências específicas sobre temas que estão a ser abordados pelo projeto: a avaliação de riscos nas ruínas romanas de Troia; a gestão de riscos de desastres na Conservação do Património construído; as técnicas não intrusivas de deteção e comunicação resiliente; os planos de proteção e a eficácia de procedimentos de resposta para o património cultural em situações de emergência.
Durante a parte da tarde com as moderações da Dr.ª Soraia Genin do ICOMOS-PT e do Dr. José Delgado Rodrigues, do LNEC, foram debatidas políticas de salvaguarda e redução de risco em património cultural e a sua integração em outros setores como a proteção civil e a adaptação às alterações climáticas.
No final do dia, foram apresentadas duas conferências com base em dois projetos europeus da Câmara Municipal de Lisboa, o projeto RESCCUE e o Project R.O.C.K., e foi exibido o documentário Renascer das águas. A coleção Calouste Gulbenkian de Livros Manuscritos Ocidentais e as inundações de 1967, realizado por Márcia Lessa, em colaboração com o Museu Calouste Gulbenkian.

O BrainSTORMing

O BrainSTORMing – que teve como objetivo a realização de exercícios teórico-práticos e de debate, para a recolha de sugestões e validação de algumas das soluções, metodologias e abordagens do projeto.

Na sessão, que durou todo o dia, participaram os seguintes parceiros externos do STORM: Direção Regional do Norte; Direção Regional do Alentejo; CM Setúbal  – Proteção Civil; CAL – Centro de Arqueologia de Lisboa; Museu de Conímbriga; Fundação Côa Parque; Santa Casa da Misericórdia de Lisboa; Parques de Sintra – Monte da Lua; Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

A sessão da manhã foi dedicada à validação da metodologia de avaliação de risco que tem sido desenvolvida no âmbito do WP5 e ao uso de soluções tecnológicas na proteção de sítios de património cultural. Durante a tarde foi debatida a recente Resolução do Conselho de Ministros, acerca da Estratégia para uma Proteção Civil Preventiva, e a disseminação e formação no âmbito da proteção de património cultural em risco.

Esta oportunidade beneficiou também a partilha de conhecimentos, e experiências adquiridas, entre profissionais e especialistas de gestão de património cultural, de conservação e restauro, proteção civil e da GNR.